6ºC Nevogilde

Junho 02 2009

Hans Christian Andersen

 

Bibliografia de Hans Christian Andersen
 
Hans Christian Andersen foi um escritor dinamarquês, que nasceu em Odense a 2 de Abril de1805 e faleceu em Copenhaga a 4 de Agosto de 1875.
Após uma infância difícil na sua cidade natal - era filho de um sapateiro e de uma lavadeira - partiu, após a morte do pai, para Copenhaga, onde pretendia ser actor. Porém, graças à sua prodigiosa imaginação, foi na literatura que acabou se destacando, sempre com muito empenho para vencer os preconceitos de uma sociedade fortemente organizada em classes.
Andersen realizou os seus estudos sob a protecção do director do Teatro Real e já havia publicado alguns livros quando recebeu uma bolsa do rei para viagens de estudos pela Europa e pelo Oriente.
Os seus ensaios poéticos e o conto "Criança Moribunda" garantiram-lhe um lugar no Instituto de Copenhague. Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido. Enquanto que as peças de teatro, romances, poemas, livros de viagem e muitas biografias que escreveu só são conhecidos na Dinamarca, os seus "Contos" (1835-1872) encontram-se traduzidos em muitas línguas. Entre os mais famosos destacam-se O Abeto, O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Pequeno Cláudio e o Grande Cláudio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei e A Princesa e a Ervilha. Publicou ainda: O Improvisador (1835), Nada como um menestrel (1837), Livro de Imagens sem Imagens (1840), O romance da minha vida (autobiografia em dois volumes, publicada inicialmente na Alemanha em 1847), mas a sua maior obra foram os contos de fadas (Eventyr og Historier, ou Histórias e Aventuras) que publicou de 1835 a 1872.
 
Mas Andersen escreveu mais do que 156 contos de fadas, autobiografias, romances, peças de teatro, poesia, relatos de viagem. Toda a sua obra estava direccionada tanto para as crianças como para os adultos. As suas criações são ainda hoje fonte de inspiração e de novas reflexões.
 
H.C. Andersen era e continua a ser um poeta insuperável. A sua obra é fascinante pela abrangência e por ter sido traduzida em inúmeras línguas. Esta popularidade reflecte a capacidade única da sua poesia evocar emoções profundas nos seus leitores, independentemente da idade, sexo ou cultura.
 
 
Tânia Lopes, nº26

 

publicado por PortalC às 10:55

Ana Catarina, Ana Rita, Janete, Bruna, Carlos, Célia, Cidália, Cláudia, Cristiana, Diana Sousa, Diana Leal, Diogo, Filipa, Igor, Joaquina, José Manuel, José Pedro, Lisandro, Luís Paulo, Luís Pedro, Magda, Mónica, Paula, Pedro, Rui e Tânia
Fotos da turma
mais sobre mim
pesquisar
 
Trabalhos de EVT